Reaprendendo

Muitas vezes precisamos recomeçar algumas coisas, parar outras, aprender coisas novas e reaprender as que esquecemos ou perdemos no caminho.

Ontem (05/07) foi uma noite de vitória pessoal. Alguns amigos, que tem acompanhado no meu perfil do Facebook (http://www.facebook.com/valdirqg) sabem que tenho feito exercícios físicos e, com o tempo e prática, ganhado algum relativo progresso. Claro que nada é sem esforço, muito suor e, eventualmente, algumas lágrimas.

Era uma aula de Reeducação Postural, lá no Sesc Belenzinho, estava atrasado, na musculação, e cheguei já com a aula em andamento. Ajeitei tudo, pois alguns movimentos são feitos com a ajuda de faixas de borracha, cordas, pesos, bolas, enfim, tudo que possa ajudar a adaptar os movimentos e exercícios sugeridos. Peguei meu colchonete, passei a câmera para a Valéria (Val), uma das instrutoras, e segui as orientações da Paula, que é quem conduzia a aula.

Bioball - 'feijão'

Bioball - 'feijão'

Num dado momento o exercício era parecido com o gato, do Pilates, andando e reproduzindo os movimentos de um gato, só que com os pés no chão e as mãos também, ou seja, o quadril fica bem projetado pro alto e, uma mão vai para frente e o pé contrário vai alternando o movimento. É muito bom, pois nos ajuda a corrigir a postura, alonga e ajuda também a recrutar e exercitar músculos que usamos mal ou muito pouco. No meu caso, fiz com o auxílio do feijão, um tipo de bola achatada, que me dá estabilidade e desliza apenas para frente e não tão facilmente para os lados, como uma bola convencional.

Como, obviamente, não dá pra eu fazer o gato, adaptamos com o feijão. Fico apoiado nos joelhos, o que já foi um ganho enorme depois que comecei as aulas, dai sim começou o desafio. Foi sugerido que eu tentasse, usando o feijão, deslizar sobre ele e, num caminho formado por uns 8 colchonetes, tentar andar com os 4 apoios, mas de joelho. Brinquei que seria um gato manco.

Pra ficar na posição já foi um sacrifício. Como disse, ficar ajoelhado, ainda que apoiado por uma bola e apoiado nas mãos é complicado, muito. Suei que parecia estar numa aula de intensidade máxima, mas fui. A bola começou a atrapalhar e sugeri pra Val que a afastasse. Medo. Será que consigo, será que vou cair? Bom, vamos tentar, senão não terei respostas.

Ao conseguir ficar na posição e já molhando o colchonete com as gotas de suor, meu Deus!! Consegui ficar, sem a bola!!! Nossa, como doeu, como suei. Mas vamos lá, não fiz o exercício ainda. Pausa para descansar.

Ao fundo, um cd com músicas acústicas e começa uma versão do James Blunt – Carry you home. A tradução é complicada, junte a isso um mix de sentimentos, cansaço e fragilidade.

Recomeçando, já muito cansado, mas com vontade, consigo novamente a posição e, SIM, minha primeira engatinhada completa. Na segunda eu já não sabia mais o que caia no caminho de colchonetes, se lágrimas ou suor, pois estava molhando. Foi uma experiência e sensação incríveis, um recomeço mesmo.

Já quase sem fôlego a Val pergunta quanto tempo eu não fazia isso, só consegui responder com os dedos, mostrando 7 para ela. “Sete meses?” Não, há sete longos anos que não fazia esse movimento, simplesmente não conseguia, não tinha forças.

Após a aula, já recomposto mas ainda emocionado, encontro os amigos Alceu e Claudinei, queria contar pra eles, mas seria uma nova sessão de choro, dai não dá,  principalmente por serem amigos muito queridos e que tem acompanhado a trajetória, sabem que sou chorão e não conseguiria parar e, ainda havia mais uma aula, mas divido hoje com eles, pois também não haviam sabido. 😉

Ainda é cedo para comemorar.

Milagre? Santa Valéria e Santa Paula? Não, apenas muito esforço conjunto, meu me empenhando e delas e dos demais instrutores (são uns 20 ou mais) que tem acreditado, pesquisado e conhecido meus limites, limitações e desafiando para ver o que conseguimos de melhor. Ainda há muito por fazer. O restante do tempo tem sido de recuperação, para a sessão do dia seguinte mas, repito, tem valido muito a pena.

#feliz

Anúncios

  1. querido… acho que sua força transcendeu o espaço, depois de tanto tempo, não resolvi te procurar nesse dia???? Acho que senti, senão, estou sentindo agora seu sucesso…
    Gato, manco ou não, VC AGORA É UM GATO!!!!!!!!
    #feliztb

  2. Li seu texto uma tres vezes.. Aqui sozinho no meu apartamento.. deixei algumas lagrimas escorrerem.. foda-se to sozinho mesmo.. Mas foram lagrimas de sentimentos diferentes.. felicidade misturada com orgulho.. Ta pra nascer um amigo assim como voce.. Pra mim apesar dos acessorios ( muletas , cadeiras…) vc é normal.. quando to chateado… triste, me lembro de voce e todo meu baixo astral vai embora.. Agradeço a deus por ter colocado voce em minha vida.. A voce meu amigo querido.. Muiiita força.. muita luz e principalmente saude sempre.. So nos ( seus amigos ) sabemos o quanto nos divertimos, mesmo com seu mau humor que as vezes é estremamente engraçado rss..
    beijo no coração.. E obrigado por dividir com a gente esse momento tao especial pra voce.. e consequentemente pra gente tambem…

  3. Um milagre conseguido com muito esforço, determinação, empenho. Parabéns pela vitória, meu querido. Grande beijo pra você.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s